Dieta

Dieta DASH: Importante para a redução da pressão arterial (rico em frutas, hortaliças, fibras, minerais e laticínios com baixos teores de gordura). Ingerir no dia, quatro a cinco porções de frutas, quatro a cinco porções de legumes, duas a três porções de laticínios de baixo teor de gordura e ingesta de gordura menor que 25% do total de calorias.

Dieta do Mediterrâneo: Rica em frutas, legumes, cereais integrais, feijões, nozes e sementes. Sua principal fonte de gordura é o azeite de oliva (gordura monoinsaturada). A dieta tem baixa a moderada quantidade de peixe, aves e produtos lácteos, com pouca ingesta de carne vermelha.

Exercícios

  • Os Exercícios físicos recomendados são os aeróbicos (caminhada, esteira, natação, hidroginástica, bicicleta, etc.) pelo menos 150 minutos por semana, distribuídos por exemplo, 30min 5x na semana ou 50min 3x na semana.
  • Compre um frequencímetro (ou pulsímetro).
  • Inicie com 60% de sua frequência cardíaca máxima e à medida que vai melhorando seu condicionamento chegue até 80-85% de sua frequência cardíaca máxima.
  • Para calcular a frequência cardíaca (Fc) máxima use a fórmula: Fc máxima = 220 - Idade.

Exemplificando: Um paciente de 50 anos:

  • Freq. cardíaca máxima = (220 - 50): 170 batimentos por minuto (bpm).
  • Iniciamos com 60% da frequência cardíaca máxima: Ex: (170) x (0.6) = 102 bpm.
  • Depois ir aumentando gradativamente conforme seu condicionamento para 65% - 70% até chegar em 80% da frequência cardíaca máxima: Ex: (170) x (0.8) = 136 bpm.
  • No período de aquecimento (5 min iniciais) e recuperação (5 minutos finais), a frequência pode atingir 50% da frequência cardíaca máxima, neste caso, 85bpm
  • Resumindo, iniciar o exercício nos primeiros 5 min (aquecimento) com 85bpm, depois 102bpm (60% da Fc máxima) a 136bpm (80% da Fc máxima), podendo fazer intervalos curtos de 1 minuto para recuperar o fôlego e nos últimos 5 min finais (recuperação) voltar à Fc de 85bpm.

Álcool

As recomendações diárias de consumo de álcool (escolha apenas um dos abaixo) que podem trazer benefícios à saúde como diminuir taxas de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral e melhorar massa óssea, são as seguintes:

VINHO = máximo em homens até 240ml (120ml para mulheres)

CERVEJA = máximo em homens até 2 latas (1 lata para mulheres)

DESTILADOS = máximo em homens até 60ml (30ml para mulheres)

CONHAQUE = máximo em homens até 30ml (15ml para mulheres)

É bom lembrar que não há efeito acumulativo da medida, ou seja, se não se consome num dia, não se acumula para o dia seguinte. Também não se pode atingir os valores para 2 tipos de bebida no mesmo dia, ou seja, não se pode consumir 2 latas de cerveja e 240m de vinho no mesmo dia (para o caso dos homens).

Também é importante salientar que para quem tem tendências de alcoolismo, é melhor não fazer uso de álcool. Sempre consultar seu médico antes de fazer uso do álcool, mesmo que moderadamente como é a proposta destes valores.

n engl j med 352;6 www.nejm.org february 10, 2005

Fumo

Existem tratamentos que podem fazer você para de fumar em até 60% da vezes. Algumas dicas também são úteis:
  • Seja firme com seu objetivo. Marque um dia "D" (dia Decisivo para parar de fumar)
  • Marque uma data e avise o médico 2 semanas antes da parada para que possa prepará-lo.
  • Jogue fora seus cigarros e cinzeiros
  • Fale para seus familiares e amigos que você está parando de fumar e solicite ajuda
  • Visite seu médico para mantê-lo informado sobre seus progressos e fale se está tendo problemas como depressão e ganho de peso
  • Se falhar não se desanime. Tente novamente. Algumas pessoas necessitam tentar 3-4x antes de deixar o hábito
  • Algumas pessoas têm uma vontade grande de fumar em algum momento que dura apenas 5 min, saiba que é passageiro. Isto se chama "fissura".
  • Mude os hábitos que lembrem o cigarro ("gatilhos"): pós almoço, café, computador, tele,fone, jornal, etc. Substitua-os por suco, caminhada, escovação dentária, etc

Exames

  • Glicemia: em pacientes a > 45 anos com fatores de risco para diabetes (índice de massa corpórea - IMC 25 + história familiar de diabetes em parentes de 1º grau, sedentarismo, história de ter tido um filho com > 4,1kg no parto, história de diabetes na gestação, problemas com os lipídeos como HDL 35 ou Triglicerídeos 250; paciente que já teve uma glicemia de jejum alterada, ou intolerância a glicose prévia, síndrome dos ovários policícticos, histórico de doença vascular arterial). Se o exame der < 100mg/dL pode-se repetir em 3 anos, já se der 100mg/dL mas < 126mg/dL considera-se como intolerância a glicose, devendo ser repetida anualmente pelo risco de diabetes de 8,4% ao ano. Se os níveis forem 126mg/dL o diagnóstico de diabetes é feito.
  • Perfil lipídico: a cada 5 anos (se > 20 anos). Não esqueça do jejum de 12 a 14 horas.
  • Papanicolau: mulheres sexualmente ativas a cada 3 anos (entre 21-65 anos). Se > 65 anos com fatores de risco (mais de um parceiro sexual nos últimos 5 anos ou imunodeprimidas), deverão continuar com o rastreamento. Não deverá ser realizado em pacientes que tenham sido submetidas a retirada do útero (histerectomia total) por doença benigna (exemplo, mioma).
  • Mamografia: a cada 2 anos em mulheres entre os 50 e 74 anos.
  • Densitometria óssea: a cada 2-3 anos em mulheres > 65 anos (homens > 70 anos). Idades menores se houverem fatores de risco para fraturas (baixo peso, história familiar de fratura em parentes de 1º grau, tabagismo atual, uso de corticóides).
  • Pesquisa de sangue oculto nas fezes: anualmente (entre 50 e 75 anos).
  • Retossigmoidoscopia flexível: a cada 5 anos.
  • Colonoscopia: a cada 10 anos (entre 50 e 75 anos).
  • Ecodoppler de carótidas: para pacientes com moderado risco cerebrovascular (de Framingham entre 10-20%). Se espessura íntima média da carótida for > 1mm ou presença de score de cálcio > 100 ou > 75 percentil para o sexo, aumentar o risco de moderado para alto.
  • Ecografia de abdomen: 1 vez para homens que fumam ou fumaram e estão entre 65 e 75 anos.

Peso

Mantenha seu peso corporal normal. Considera-se como um parâmetro, o índice de massa corpórea (IMC), sendo calculado pela fórmula: IMC = Peso ÷ (Altura)²

Considera-se os seguintes valores:

  • < 18.5 = baixo peso
  • 18.5 a 24.9 = normal
  • 25.0 a 29.9 = sobrepeso
  • 30.0-39.9 = obesidade
  • 40.0 = obesidade mórbida

Sempre tente atingir um IMC normal com exercícios físicos e dieta (baixam entre 5 e 10% do peso corporal respectivamente). Já as medicações baixam apenas entre 3 a 5 % do peso corporal. Portanto, os exercícios e a dieta são melhores. As medicações eventualmente devem ser usadas como auxílio para pessoas com IMC > 27 que não estejam conseguindo atingir as metas com os exercícios e a dieta e que venham aumentando seus riscos à saúde. Nunca use medicamentos sem acompanhamento médico. Estes devem ser medicamentos seguros e aprovados pelos respectivos órgãos reguladores e sociedades.

Cintura

Deve ser medida no meio da distância do rebordo da última costela com a crista ilíaca ântero-superior, durante a expiração.

Pasted Graphic

De uma maneira geral podemos dizer que se a circunferência abdominal for 90cm em homens e se 80cm em mulheres há risco cardiovascular. No entanto, existem variações raciais que devem ser considerados como mostrado na tabela abaixo (acima desses valores há risco cardiovascular). Lancet 2005; 336:1059.

fig.01

Depressão

Recomenda-se o rastreamento de depressão de todo adulto por meio de 2 perguntas:

1. Nas últimas 2 semanas, você tem se sentido deprimido, triste, sem esperança?
2. Nas últimas 2 semanas, você tem sentido menos interesse em suas atividades?

No caso de resposta positiva para qualquer uma das perguntas, deve-se fazer uma entrevista médica mais acurada para saber se de fato existe possibilidade de depressão.

Risco Cardiovascular

Classicamente alguns fatores de risco cardíaco são bem conhecidos como

  • Homem 45 anos e mulher 55 anos
  • Tabagismo
  • Dislipidemia (colesterol elevado ou triglicerídeos elevados ou ambos)
  • HDL baixo (< 40 mg/dL)
  • Sedentarismo
  • Hipertensão arterial
  • Obesidade
  • História familiar de doença coronariana em parente de 1º grau do sexo masculino < 55 anos ou mulheres < 65 anos.
  • Infarto ou Angina prévios
  • Equivalentes de doença coronariana: doença cerebrovascular, diabetes, doença arterial periférica, estenose de carótida, aneurisma de aorta abdominal e seus ramos

Se o paciente já teve infarto ou angina ou algum sintoma equivalente de doença coronariana (dispnéia, astenia), é considerado de alto risco e não haverá necessidade de maiores estratificações, sendo as metas a serem atingidas, mais rígidas. No entanto, se o paciente não possui essas situações, devemos continuar na estratificação do risco para saber como orientar o paciente. Assim, uma forma de fazer isto é calculando o risco de Framingham (nome da cidade onde se realizou o estudo). O cálculo se refere ao risco que uma pessoa tem de ter um infarto não fatal nos próximos 10 anos. Assim, a classificação ficou da seguinte maneira:
Baixo: < 1 e 10%; Médio: 10-20%; Alto: > 20%. Para calcular seu risco cardíaco, você pode acessar este link do Hospital Albert Einstein: Risco de Framingham